Tribuna Livre aborda pandemia e as ações em Toledo

por Paulo Torres publicado 25/03/2020 09h15, última modificação 07/04/2020 09h09
A Câmara de Toledo realizou sua primeira sessão ordinária sob as normas do Ato n° 7 da Mesa Diretora, que adequou o Poder Legislativo à pandemia da Covid-19, na segunda-feira, dia 23 de março. Na sessão a Tribuna Livre foi aberta excepcionalmente ao médico Fernando Pedrotti, porta-voz do Coe-Centro de Operações de Emergência, para falar a respeito das medidas adotadas em Toledo. O médico disse que se o vírus não conseguir contagiar ele morre e por isto a forma que ele tem de sobreviver é atingindo outras pessoas. “Isto torna tão importante o isolamento social, pois o vírus precisa disso”, disse o médico em relação às medidas contra a transmissão.
Tribuna Livre aborda pandemia e as ações em Toledo

Médico Fernando Pedrotti, da Coe, falou da pandemia e medidas adotadas em Toledo

 

IMG_8711a.JPGA Câmara de Toledo realizou sua primeira sessão ordinária sob as normas do Ato n° 7 da Mesa Diretora, que adequou o Poder Legislativo à pandemia da Covid-19, na segunda-feira, dia 23 de março, quando a Tribuna Livre foi aberta excepcionalmente ao médico Fernando Pedrotti, porta-voz do Coe-Centro de Operações de Emergência, para falar a respeito das medidas adotadas em Toledo. O médico disse que Toledo não tem casos confirmados mas não assumirá uma postura irresponsável de dizer que ela não chegará, abordando o status assumido com a decisão do Ministério da Saúde sobre o estágio de sua disseminação. O médico disse que a transmissão local é quando a doença passa de pessoa para pessoa mas se identifica a origem da contaminação, enquanto no estágio de transmissão comunitária assumindo pelo governo federal é quando já não se identifica a forma de contágio da pessoa atingida.

Pedrotti disse aos vereadores que a Covid-19 tem 14 dias de incubação do vírus, sendo que foi observado 12,5 dias, mas se trabalha com 10% de margem de segurança. O médico disse que se o vírus não conseguir contagiar ele morre e por isto a forma que ele tem de sobreviver é atingindo outras pessoas. “Isto torna tão importante o isolamento social, pois o vírus precisa disso”, disse o médico em relação às medidas contra a transmissão, que incluem na Câmara de Toledo o fechamento das sessões, às quais têm acesso apenas os vereadores, servidores e imprensa cadastrada, mas com transmissão via internet. Segundo o médico, quanto mais parados, menor o risco de contágio pelo vírus, que pertence à família corona descrita em 1987 e que já teve apontados vários tipos antes. O que causa a Covid-19 é o SARS-CoV-2, identificado na China no final do ano passado. Pedrotti disse na Câmara de Toledo que a preocupação é com a altíssima transmissibilidade deste vírus, pois enquanto o vírus da gripe, o Influenza, tem índice 1,3, significando que pode a partir de uma pessoa atingir 3 a 4 outras o Covid-19 pode chegar a 2,6 até 6 pessoas a partir de um infectado.

Quanto à forma de contágio o médico Fernando Pedrotti disse aos vereadores toledanos que ela pode ocorrer de forma direta ou indireta, exemplificando a primeira forma com a pessoa infectada que espirra e propaga o vírus a alguém que está a um metro e o inala, destacando que em função disto é preciso evitar aglomerações e manter distância mínima das outras pessoas. Já o contágio indireto ocorre a partir de hábitos como o de coçar o nariz ou olho, que são pontos por onde o vírus sai do infectado, o qual não sabe de sua condição. A partir deste gesto o vírus fica na mão e dela vai para maçanetas de portas, corrimões de escadas e outros pontos semelhantes onde sobrevive pelo menos 2 a 3 dias e consegue ficar vivo por até 9 dias. Esta sobrevida do coronavírus é maior em superfícies lisas, como o plástico, metal e vidro, enquanto em materiais como tecidos e roupas pode durar de 6 a 8 horas, além de ficar em objetos como o próprio controle remoto da TV, informou o médico na Tribuna Livre.

 

Rapidez de disseminação

O porta-voz do Coe disse aos vereadores toledanos que o vírus atinge a partir de um infectado no mínimo 2 pessoas e no máximo 6 e sua multiplicação é muito rápida e sua disseminação ocorre com rapidez assustadora, exemplificando com o caso da comitiva do Brasil que foi aos EUA e que dos seus mais de 40 integrantes teve metade atingidos. Os sintomas são febre, garganta irritada e dor no corpo, mas a partir da ocorrência dos sintomas ele se transmite até o sétimo dia, enquanto no oitavo foi eliminado para o ambiente. Para 80% dos pacientes não há maiores problemas, explicou Pedrotti, mas os demais 20% têm complicações que vão de leve cansaço e falta de ar até a forma grave, que exige entubação do paciente com respirador. A doença é mais grave nos idosos e quanto maior a idade maior é o risco de complicar, comentou, informando que pacientes com mais de 60 anos têm tido 8% de mortalidade, enquanto entre os atingidos com 80 anos ou mais o índice sobe a 15% de óbitos. “A população mais idosa não compreendeu a gravidade do momento, é preciso fazer esta reflexão”, disse o médico Fernando Pedrotti, apontando que estes casos exigirão respiradores e leitos de hospitais.

Até o domingo, dia 22 de março, Toledo tinha 14 casos suspeitos, sendo que 12 poderiam ser do coronavírus e outros dois da SRAG-Síndrome Respiratória Aguda Grave ou SARS, da sigla em inglês, sendo um o de uma criança de dois anos e outro uma pessoa de mais idade e no domingo dois casos deram negativo para Covid-19. Para o médico o grande desafio é a vacinação de idosos contra a gripe em meio à pandemia, que teve resultado muito bom na segunda-feira, com a população procurando com avidez. “Em 22 anos de atuação nunca vi tanta procura“, comentou o médico Fernando Pedrotti, informando que a primeira leva de vacinas enviada pelo governo federal já estava “no conta-gotas” e depois seguem outras etapas até 14 de abril, com atendimento inicial de idosos e profissionais de saúde e a partir de 16 de abril outros grupos.

 

Indústrias e a pandemia

O médico porta-voz do Coe também relatou aos vereadores a reunião realizada na sexta-feira, dia 20, com representantes das indústrias toledanas para tratar do enfrentamento da pandemia e a situação das empresas e seus funcionários. Ele lembrou que Toledo produz 80% da dipirona do Brasil e 90% dos genéricos do SUS e conta com plantel de 1 milhão de suínos que exigem ração e insumos e disse que as empresas relataram medidas como o acesso controlado, o monitoramento dos seus trabalhadores e é preciso fazer o possível para não expor as pessoas mas que elas continuem trabalhando. Segundo ele o plantel de animais sem ração e os devidos cuidados morreria e isto criaria um outro enorme problema e por isto a questão precisa de muita racionalidade e muito cuidado. “Estamos enfrentando uma pandemia, não podemo transformar num pandemônio.” Pedrotti relatou aos vereadores que as 15 a 18 indústrias participantes relataram medidas, multiplicação de ações e até alguns avanços que desconhecia. “Confesso, eu me senti seguro”, disse o porta-voz do Coe aos vereadores na Tribuna Livre.

Os vereadores também levantaram questões sobre o acúmulo de passageiros no transporte coletivo, a fila formada na busca da vacina contra gripe e ainda os desencontros de informações entre as diferentes unidades de saúde no atendimento à população idosa na vacinação, entre outros problemas e desafios em Toledo. “Nós estamos aprendendo, é algo novo”, comentou o médico Fernando Pedrotti, informando que o próprio sistema de saúde está tendo que se adaptar, com a retirada do pessoal da saúde municipal com mais de 60 anos e grávidas da linha de frente no atendimento, por exemplo, por integrarem grupo de risco. Isto causou a perda de parte da força de trabalho, afirmou, destacando o papel dos profissionais na atual situação. O médico também relatou a implantação de um call-center via telefone (45) 3055 8872, o qual atende de domingo a domingo, das 7h às 19h, com informações sobre a pandemia da Covid-19 e o coronavírus, destacando ainda que está à disposição do Poder Legislativo. “A gente tem que prestar contas porque é a nossa obrigação”, disse o médico Fernando Pedrotti na Tribuna Livre da Câmara de Toledo.

Confira dados atualizados da pandemia a nível nacional e mundial

 IMG_8714a.JPG

error while rendering plone.comments