Pedro Simon visita Câmara de Toledo e fala aos vereadores

por Paulo Torres publicado 28/11/2019 15h15, última modificação 29/11/2019 15h58
A Câmara de Toledo recebeu a visita do ex-senador Pedro Simon na segunda-feira, antes da sessão ordinária, quando o ex-senador visitou o Gabinete da Presidência, sendo recebido pelo presidente Antônio Zóio, o secretário Leoclides Bisognin e o diretor-geral Jadyr Donin. Acompanhado do pastor Edgard Ravache, Pedro Simon também esteve no Plenário e Auditório Edílio Ferreira, onde falou aos vereadores e público presente em favor da prisão em segunda instância, além de repassar sua trajetória política, que começou no movimento estudantil, passou pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul e depois Palácio Piratini, além do Ministério da Agricultura e Senado.
Pedro Simon visita Câmara de Toledo e fala aos vereadores

Ex-senador visitou a Câmara de Toledo com seu concunhado, onde foi recebido pelo presidente, secretário e diretor-geral

Simon.jpgA Câmara de Toledo recebeu a visita do ex-senador Pedro Simon, o qual veio a Toledo em visita a familiares. Na segunda-feira, antes da sessão ordinária, o ex-senador que deixou o Senado no fim de 2014, após quatro mandatos de senador, visitou o Gabinete da Presidência, sendo recebido pelo presidente Antônio Zóio, o secretário Leoclides Bisognin e o diretor-geral Jadyr Donin. Acompanhado do marido da irmã esposa de sua esposa, Ivete Simon, Pedro Jorge Simon também esteve no Plenário e Auditório Edílio Ferreira, onde falou aos vereadores e público presente em favor da prisão em segunda instância, conclamando a juventude e população a apoiar a medida, além de repassar sua trajetória política, que começou no movimento estudantil, passou pela Câmara de Caxias do Sul como vereador, Assembleia Legislativa e depois Palácio Piratini, como governador do Rio Grande do Sul, além do Ministério da Agricultura, entre 1985 e 86, no governo de José Sarney, e Senado Federal, onde atuou de 1979 a 1987 e de 1991 a 2015. Como senador foi autor do requerimento de constituição da CPI para apurar as denúncias sobre agentes corruptores (CPI dos corruptores), em complementação às CPIs do Impeachment que afastou Fernando Collor da Presidência da República e da CPI do Orçamento, que investigou os chamados anões.

Pedro Jorge Simon é natural de Caxias do Sul e completou 89 anos em 31 de janeiro, tendo quatro filhos. Advogado e professor universitário, Simon é descendente de imigrantes libaneses que chegaram a Caxias do Sul em 1922, originários de El Kufur, junto com outras famílias como Sehbe, Kalil e David, todas católicas. Formado em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), tem pós-graduação em Economia Política, sendo também especialista em Direito Penal. Foi professor da Universidade de Caxias do Sul (UCS), além de sua vida acadêmica incluir passagens pela Universidade Sorbonne e pela Faculdade de Direito de Roma.

É viúvo de Tânia Simon, falecida em 1985, três meses antes da eleição que o elegeu governador. Com ela teve três filhos: Tiago, que estudou Direito na PUCRS e na UFRGS, Tomaz, e Mateus (falecido num acidente em 1984 que abalou sua mãe, que dirigia o carro). Hoje é casado com Ivete Fülber Simon, com quem teve mais um filho, Pedro, o qual formou-se em direito pela PUCRS em 2017. Católico carismático, Pedro Simon ingressou há alguns anos com a esposa Ivete na Ordem de São Francisco. Simon1.jpg

 

error while rendering plone.comments