História

por Interlegis — última modificação 27/11/2014 10h16

História da Câmara

Origem

Fundada por colonizadores gaúchos que desembarcaram do primeiro caminhão e começaram a construção das primeiras casas em 27 de março de 1946, no então Território Federal do Iguaçu, Toledo inicialmente era um projeto de colonização de rápido crescimento no interior de Foz do Iguaçu, graças à exploração da madeira e venda de terras no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A emancipação político-administrativa do Município de Toledo e a definitiva separação do Município de Foz do Iguaçu ocorreu no dia 14 de novembro de 1951, através da Lei nº 790, sancionada pelo então governador do Estado do Paraná Bento Munhoz da Rocha Neto.

O nome Toledo provém do Arroio Toledo, um rio que passa ao lado da cidade. Segundo relato dos pioneiros, este rio recebeu o nome de Toledo muitos anos antes da colonização do município, quando haviam pousos instalados na região para extração da erva-mate. Um destes pousos, localizado à beira-rio, era administrado por um senhor chamado Toledo, que deu origem a este nome.

As eleições para a primeira legislatura aconteceram no dia 9 de novembro de 1952 e a posse dos eleitos deu-se na primeira sessão da Câmara Municipal de Toledo, no dia 14 de dezembro do mesmo ano, quando Toledo foi oficialmente levado à condição de município.

O primeiro prefeito de Toledo foi o médico Ernesto Dall’Oglio e para preencher as nove cadeiras da Câmara Municipal elegeram-se os vereadores José Ayres da Silva, Clécio Zenni, Ondy Helio Niederauer, Leopoldo João Schimidt, Rubens Stresser, Alcebíades Formighieri, Waldi Winter, Willibaldo Finkler e Güerino Antônio Viccari, este último sendo eleito o primeiro presidente da Câmara de Toledo.

A Câmara Municipal, juntamente com a Prefeitura, iniciou seu funcionamento em um prédio de madeira anteriormente ocupado pelo escritório da firma Bue-Caé Industrial Agrícola Ltda, localizado na Rua Barão do Rio Branco. A locação fora cedida pela Colonizadora Maripá.

Nas primeiras legislaturas, até 1974, os vereadores não recebiam remuneração pela atividade parlamentar. Mais tarde, os que moravam fora da área urbana passaram a receber uma pequena quantia para passagem de ônibus e pernoite quando as sessões se prolongavam de sábado para domingo. Somente a partir do ano de 1975 os vereadores passaram a receber um salário proporcional as suas atividades.

Estruturação

Em relação ao número de vereadores, que atualmente deve ser proporcional ao número de habitantes do município, conforme os limites ditados pela Constituição, em seu artigo 29, inciso IV, da primeira à sétima legislatura (1952 à 1982) nove vereadores compunham a Câmara. Na oitava legislatura (1983 à 1988) o número de vereadores em Toledo passou para 13. Nas quatro legislaturas seguintes (1989 à 2004) 17 vereadores formavam o Poder Legislativo. No ano de 2005, na décima primeira legislatura, em observância à Resolução nº 21.702 do Tribunal Superior Eleitoral de 2004, reduziu-se o número de Vereadores de 17 para 11, na décima quinta legislatura, conforme Emenda Constitucional nº 58/2009, em seu art. 29, inciso IV, alínea "f", aumentou-se o número de vereadores para 19, número atual de vereadores nos dias de hoje.

A Câmara Municipal de Toledo, atualmente composta por seus 19 vereadores, possui um quadro reduzido de servidores que integram a estrutura organizacional composta pelos órgãos da diretoria, departamentos legislativo e administrativo, procuradoria, assessorias, gabinete da presidência e serviços gerais, somando no total 42 servidores.


Cidadania Honorária

Quase no término do primeiro período legislativo, os vereadores instituíram a lei que criou o Título de Cidadão Honorário de Toledo. Título este expedido até hoje pela Câmara Municipal, em reconhecimento as pessoas que tenham se destacado em suas vidas pessoais e profissionais, contribuindo para o crescimento e desenvolvimento do município ou que tiverem produzido relevantes serviços de reconhecimento público e/ou pelo seu desprendimento. Os primeiros homenageados foram Willy Barth e Egon Werner Bercht, por seus esforçados trabalhos no sentido de conseguir a emancipação de Toledo, desmembrando-se do Município de Foz do Iguaçu, e logo a seguir a conquista da Comarca.

História de Toledo

Origem

Segundo registros precisos, foi em 27 de março de 1946 que as primeiras famílias de colonizadores chegaram em Toledo e instalaram acampamentos. A identificação oficial de "Toledo" deu-se posteriormente, numa opção entre Toledo, Cristo Rei e Brasiléia.

Registros de 1905 e 1906 atribuem vínculo ao nome de "Pouso Toledo", recanto de descanso de tropeiros ao longo de uma picada utilizada para transporte de produtos, especialmente da erva-mate, comercializados por estrangeiros que possuíam glebas na região oeste do Estado do Paraná, onde o Município está inserido.

A história registrou como primeiras famílias de colonizadores as de Ruaro e Dalcanale, as quais se incumbiram de arregimentar outras famílias gaúchas para incrementar a colonização de Toledo, que se tornou município, sem antes ser distrito, desmembrando-se do de Foz do Iguaçu pela Lei Estadual n° 790, de 14/11/1951, sancionada pelo Governador Bento Munhoz da Rocha Neto, e instalado oficialmente em 14/12/1952, após proclamado resultado do pleito eleitoral de 09/11/1952.

Em 09/06/1954 foi instalada a Comarca de Toledo e, em 20/06/1959, foi criada a Diocese de Toledo. O município tem área de 1.205.501 km² e população de 120 mil habitantes, distribuídos entre sua sede e seus oito distritos. Sua economia é baseada na agropecuária e na pequena e média indústria.

Desenvolvimento Regional

Na década de 1950, a região oeste paranaense passou a ser integrada pelos Municípios de Foz do Iguaçu - desmembrado do Guarapuava em 1914 -, Guaraniaçu, Guaíra, Cascavel e Toledo (estes últimos desmembrados de Foz em 1951). Os município detinham extensa área territorial, caminhos mal traçados, comunicações deficitárias e acessos precários a outros centros políticos.

Toledo deu origem a novas cidades, surgindo os municípios de Marechal Cândido Rondon (1960), Palotina (1960), Assis Chateaubriand (1966), Nova Santa Rosa (1976), Ouro Verde do Oeste (1989) e São Pedro do Iguaçu (1990).