Minuto de silêncio homenageia toledano e ex-deputado Silvestri

por Paulo Torres publicado 22/10/2018 15h25, última modificação 24/10/2018 09h58
A sessão da Câmara de Toledo na segunda-feira, dia 22, realizou um minuto de silêncio pelas mortes do toledano Alvino Francisco Paes e do ex-deputado federal e ex-chefe da Casa Civil do Paraná, Cezar Silvestri. A homenagem foi solicitada na abertura da sessão, quando o presidente Renato Reimann pediu aos presentes à sessão um minuto de silêncio em intenção aos dois falecidos. Alvino Francisco Paes faleceu na noite de quinta-feira, dia 18, sendo sepultado na sexta-feira, dia 19, no Cemitério Cristo Rei, após missa na capela mortuária anexa à Igreja São José Operário, na Vila Pioneiro.
Minuto de silêncio homenageia toledano e ex-deputado Silvestri

Vereadores e o público mantiveram minuto de silêncio na abertura da sessão

 

 

A sessão da Câmara de Toledo na segunda-feira, dia 22 de outubro, realizou um minuto de silêncio pelas mortes do toledano Alvino Francisco Paes e do ex-deputado federal e ex-chefe da Casa Civil do Paraná, Cezar Silvestri. A homenagem foi solicitada na abertura da sessão, sendo que para Silvestri foi solicitada pela vereadora Olinda Fiorentin, enquanto o vereador Airton Savello solicitou para Alvino Francisco Paes, um dos comerciantes mais antigos da região da Grande Pioneiro. Em seguida  o presidente Renato Reimann pediu aos presentes à sessão um minuto de silêncio em intenção aos dois falecidos.

Alvino Francisco Paes, 74 anos, faleceu na noite de quinta-feira, dia 18, sendo sepultado na sexta-feira, dia 19, no Cemitério Cristo Rei, após missa na capela mortuária anexa à Igreja São José Operário, na Vila Pioneiro. Alvino atuou por cerca de 30 anos no comércio na região da Grande Pioneiro, sendo bastante conhecido pelo trabalho desenvolvido em sua trajetória. Alvino Francisco Paes deixa a esposa Carmelita Cerqueira Paes, com a qual teve 3 filhos, que geraram 5 netos e 2 bisnetos.  

O ex-deputado Cezar Augusto Carollo Silvestrii, engenheiro civil formado pela Universidade Federal do Paraná em 1977. Ingressou na vida pública em 1988, quando foi eleito vice-prefeito de Guarapuava e também exerceu três mandatos como deputado estadual, sendo eleito em 1990, 1994 e 1998. Em 2002, Silvestri foi eleito deputado federal, sendo reeleito em 2006 e 2010, pelo PPS-Partido Popular Socialista.

Também foi titular da Sedu-Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, no primeiro mandato de governador de Beto Richa. Em 2013, foi nomeado secretário de Governo e logo depois, assumiu o cargo de secretário-chefe da Casa Civil. Em 2015, assumiu a presidência da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar).

Na madrugada de 21 de outubro, populares acharam o seu corpo  na Rua Martim Afonso, na rua em frente ao seu apartamento, no bairro Bigorrilho, em Curitiba. O Instituto Médico legal, onde o corpo chegou por volta das 5:20h, constatou que a causa da morte foi a queda do seu apartamento, no 22° do prédio onde morava.

Cezar Silvestri tinha 64 anos e deixa a esposa, a deputada estadual reeleita Cristina Silvestri, a mais votada do PPS e no município de Guarapuava e também o filho Cesar Augusto Carollo Silvestri Filho, prefeito reeleito de Guarapuava, além de netos e outros familiares.

A governadora Cida Borghetti (PP) esteve presente no velório de Silvestri em Guarapuava, assim como o governador eleito Carlos Ratinho Júnior. A governadora decretou luto oficial de três dias em todo o estado. À imprensa, ela lembrou o tratamento que ele fazia contra a depressão e lamentou o ocorrido. 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.