Garantioeste relata na Tribuna Livre uso de recursos no fomento

por Paulo Torres publicado 20/02/2018 10h15, última modificação 23/02/2018 09h56
A Tribuna Livre da sessão da Câmara de Toledo contou com a participação do vice-presidente da Garantioeste, Augusto Sperotto, o qual explanou sobre o uso dos recursos municipais destinados a ampliar a garantia de empréstimos no fomento empresarial. A sociedade garantidora de crédito Garantioeste recebeu do Município de Toledo o repasse de R$ 125 mil, aprovados pela Câmara Municipal, os quais alavancaram garantias de operações no valor de R$ 745 mil, relatou Sperotto. As operações foram realizadas através de quatro agentes financeiros, relatou o vice-presidente aos vereadores na Tribuna Livre.
Garantioeste relata na Tribuna Livre uso de recursos no fomento

Sperotto relatou uso dos recursos e se disponibilizou para relatos semestrais

 

 

IMG_1665a.jpgA Tribuna Livre da sessão da Câmara de Toledo nesta segunda-feira, dia 19, contou com a participação do vice-presidente da Garantioeste, Augusto Sperotto, o qual explanou sobre o uso dos recursos municipais destinados a ampliar a garantia de empréstimos no fomento empresarial. A sociedade garantidora de crédito Garantioeste recebeu do Município de Toledo o repasse de R$ 125 mil, aprovados pela Câmara Municipal, os quais alavancaram garantias de operações no valor de R$ 745 mil, relatou Sperotto. As operações foram realizadas através de quatro agentes financeiros, entre os quais as cooperativas de crédito locais, relatou o vice-presidente aos vereadores na Tribuna Livre da Câmara, onde compareceu acompanhado de Marco Roth e Danilo Guerra, da equipe da Garantioeste, além do diretor Danilo Gass.

Sperotto disse que o crédito para as empresas é como o oxigênio para o ser humano e a melhora das garantias viabiliza que o tomador consiga juro menor e prazo maior. A Garantioeste garante 80% da operação e os restantes 20% ficam a cargo do agente financeiro e o limite corresponde a 10% a 15% do faturamento bruto anual da empresa. O vice-presidente disse que a Garantioeste ainda é embrionária e busca elevar seu rating. Sperotto lembrou a origem da Garantioeste, projeto que foi idealizado pelo Sebrae e contou com a participação inicial da Acifi, Acic e IDR. Os aportes para o “colchão” de garantia contaram com participações da Prefeitura de Toledo, com R$ 125 mil, R$ 300 mil de Cascavel, R$ 200 mil de Foz do Iguaçu e R$ 40 mil de Terra Roxa, entre outras. Atualmente estão em tramitação aportes de prefeituras como Assis Chateaubriand, Capitão Leônidas Marques, Santa Helena, Marechal Rondon e Tupãssi, relatou Sperotto, destacando que a alavancagem alcançada pelos aportes de garantias são de 5 para um.

No caso de Toledo o aporte de garantia de R$ 125 mil viabilizou operações de R$ 785 mil, relatou aos vereadores, detalhando que os recursos contemplaram 4 MEIs-Micro Empreendedores Individuais, 40 micro empresas e 3 pequenas empresas. Por setor os recursos tiveram 75% de destinação ao comércio, 8% para indústrias e 17% para a área de serviços. ”Isso faz a diferença nas matriz de custo do pequeno empresário”, disse o vice-presidente da Garantioeste. Sperotto destacou que sua empresa não pode ser contemplada com recursos devido ao cargo que ocupa mas a oferta de crédito beneficia outras empresas que também operam com a dele e assim, indiretamente, ela também acaba sendo beneficiada, assim como toda a economia. Relatou ainda que o sigilo bancário não lhe permite identificar publicamente as empresas beneficiadas, mas qualquer interessado poder conferir isso pessoalmente.

Sobre os recursos toledanos à Garantioeste Augusto Sperotto disse ainda que sua gestão segue a Lei de Responsabilidade Fiscal e por isso eles servem para garantir as empresas de Toledo e como Oscip-Organização da Sociedade Civil de Interesse Público a Garantioeste é fiscalizada pelo Ministério da Justiça. Sperotto disse ainda aos vereadores que se quiserem ele pode vir à Câmara duas vezes por ano relatar o uso dos recursos como uma satisfação ao Poder Legislativo, que autorizou seu uso em 2015, “porque o dinheiro é público, embora tenha trocado de prefeito”.

A Câmara Municipal autorizou o apoio à Garantioeste através do Projeto de Lei 139, apreciado no Poder Legislativo e aprovado por unanimidade pelos vereadores em 2015. A lei foi sancionada em 6 de outubro de 2015 e através dela o Executivo Municipal é autorizado a destinar R$ 125 mil à Garantioeste como título de garantia de crédito.  A Câmara Municipal de Toledo recebeu o projeto de destinação de recursos à Garantioeste no dia 10 de agosto de 2015 e o apreciou através das Comissões Permanentes e depois em votações na sessão ordinária do dia 14 de setembro e em uma extraordinária no dia 17 do mesmo mês.IMG_1637a.jpg

 

 

 

 

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.