Câmara aprecia sinalização em apoio a autistas de Toledo

por Paulo Torres publicado 18/05/2017 11h05, última modificação 24/05/2017 15h03
A Câmara Municipal de Toledo está apreciando o Projeto de Lei nº 28, o qual prevê medidas de apoio aos pacientes de autismo e suas famílias em Toledo. O projeto, de autoria do vereador Pedro Varela, visa conscientizar a população toledana sobre o autismo e promover meios que visam facilitar a vida social dos autistas e seus tutores, tendo em vista os constrangimentos que sofrem pelo desconhecimento da população a respeito da doença.
Câmara aprecia sinalização em apoio a autistas de Toledo

Símbolo mundial do autismo terá que ser usado em repartições, empresas e bancos

 

 

A Câmara Municipal de Toledo está apreciando o Projeto de Lei nº 28, o qual prevê medidas de apoio aos pacientes de autismo e suas famílias em Toledo. O projeto, de autoria do vereador Pedro Varela, visa conscientizar a população toledana sobre o autismo e promover meios que visam facilitar a vida social dos autistas e seus tutores, tendo em vista os constrangimentos que sofrem pelo desconhecimento da população a respeito da doença. O PL 28 “dispõe sobre inclusão do símbolo mundial do autismo nas placas de atendimento prioritário em repartições públicas, empresas concessionárias de serviços públicos e instituições bancárias” e com a medida divulga a doença e alerta para a necessidade de atenção e prioridade que precisa.

O Transtorno do Espectro Autista, ou simplesmente Autismo, é uma denominação geral para um grupo de desordens complexas do desenvolvimento do cérebro, antes, durante ou logo após o nascimento. Esses distúrbios se caracterizam pela dificuldade na comunicação em sociedade e comportamentos repetitivos, que afetam todas as pessoas com autismo, embora com intensidades diferentes. Essas diferenças podem existir desde o nascimento e serem óbvias ou podem ser mais sutis e tornarem-se mais visíveis ao longo do desenvolvimento da criança. O autismo pode ser associado com deficiência intelectual, dificuldades de coordenação motora e de atenção e, às vezes, as pessoas com autismo têm problemas de saúde física, tais como sono e distúrbios gastrointestinais e podem apresentar outras condições como síndrome de déficit de atenção e hiperatividade, dislexia ou dispraxia. Na adolescência os autistas podem ainda desenvolver ansiedade e depressão.

Algumas pessoas com autismo podem ter dificuldades de aprendizagem em diversos estágios da vida, desde estudar na escola, até aprender atividades da vida diária, como, por exemplo, tomar banho ou preparar a própria refeição. Algumas poderão levar uma vida relativamente “normal”, enquanto outras poderão precisar de apoio especializado ao longo de toda a vida”, alerta a justificativa do Projeto de Lei nº 28. As pessoas com autismo podem ter alguma forma de sensibilidade sensorial. Isto pode ocorrer em um ou em mais dos cinco sentidos – visão, audição, olfato, tato e paladar – que podem ser mais ou menos intensificados, esclarece o documento. Uma pessoa com autismo pode, por exemplo, ouvir intensamente determinados sons de fundo, que outras pessoas ignorariam, achando-os insuportavelmente barulhentos. Isto pode causar ansiedade ou mesmo dor física ao autista.

Desse modo, facilmente podemos perceber que a dificuldade encontrada no convívio social é muito grande, ora pelos sinais do autismo, ou pela falta de conhecimento da população”, aponta a justificativa da proposta. O objetivo é conscientizar a população toledana sobre o autismo com as medidas previstas e assim promover meios que facilitem a vida social dos autistas e seus tutores diante das dificuldades trazidas pela doença. O vereador Pedro Varela destaca que foi provocado pela Associação de Familiares e Amigos dos Autistas de Toledo para a confecção deste projeto. A entidade sem fins lucrativos visa auxiliar as famílias no tratamento do autismo, com apoio pedagógico e psicológico, promovendo atividades de conscientização e de interação. No último dia 3 de abril a presidente da Associação de Familiares e Amigos dos Autistas, Tania Salete Bilato (foto abaixo), usou a Tribuna Livre da Câmara e expôs aos vereadores um pouco da realidade dos autistas, solicitando apoio e ajuda dos parlamentares. A presidente disse que a entidade surgida há 7 anos busca apoiar os que sofrem o transtorno e também para que as famílias possam se autoajudar a partir do convívio e troca de experiências. “Quando as crianças são pequenas elas são bonitas, engraçadinhas, mas elas crescem”, disse Tania, alertando que isso exige atenção e que estudos indicam que o transtorno está crescendo em incidência e projetam que em 2025 praticamente metade das famílias terão casos de autismo.

 IMG_8224a.jpg

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.